Terca-Feira, 12 de Novembro de 2019

Emanuel Pinheiro diz “Tem coligação que precisa de focinheira, não de tornozeleira”




COMPARTILHE

O pré-candidato a prefeito de Cuiabá, deputado estadual Emanuel Pinheiro (PMDB), rebateu nesta quarta-feira (3) o jornalista Kleber Lima, marqueteiro da campanha do chefe do Executivo, Mauro Mendes (PSB).

O ex-secretário de Comunicação da Capital havia afirmado, na terça-feira (2), que a chapa de Mendes não terá tornozeleiras, referindo-se indiretamente ao PMDB, partido que também é do ex-governador Silval Barbosa, preso desde setembro do ano passado.

“Tem coligação que precisa de focinheiras. Não precisa de tornozeleira, mas sim de focinheira, diante de tenta bobagem que fala, agredindo a sociedade cuiabana. A população não merece esse desrespeito e sim um debate de alto nível. Eu vim para qualificar o debate”, disse Emanuel, durante convenção municipal do PTB.

O pré-candidato criticou o tom que a campanha já está tomando e afirmou que não vai entrar nessa discussão.

“Nós respeitamos a sociedade cuiabana, e a população merece o que há de melhor. Uma campanha de alto nível, com base em propostas e não descendo ao nível daqueles que querem polemizar de forma rasteira”, afirmou.

“Nós não vamos entrar nessas discussões. Continuaremos debatendo no nível e no respeito que a sociedade merece. Um nível alto, qualificando o debate. Por isso que aceitamos o grande desafio de discutir a Cuiabá de 300 anos”, complementou.

Charge do CCC

O pré-candidato também criticou uma charge postada nos grupos de WhatsApp no último final de semana e a considerou “ofensiva”.

No desenho, duas pessoas conversam sobre eleições em Cuiabá. Um diz que Emanuel lidera as pesquisa no Carumbé.

O outro pergunta: "No bairro?". Resposta: "Não. No presídio". E surgem, no quadro ao lado, Silval Barbosa (com uma bandeira do PMDB), Pedro Nadaf, José Riva e Eder Moraes abraçados.

“Não só eu achei ofensiva,  mas como toda a sociedade, e a própria Justiça. A Justiça se antecipou a qualquer provocação. Fato raro porque a Justiça é sempre provocada, mas desta vez ela se antecipou e já se manifestou no combate claro à baixaria. E vai chegar aos verdadeiros autores, que não tiveram coragem de colocar ali a sua digital, e fizeram insinuação apócrifa, uma baixaria que a população não merece e rejeita”, pontuou.


Autor:Thaiza Assunção com Midia News


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<