Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Com apoio de estudantes e movimentos, Julier diz que vai derrotar “golpistas”




COMPARTILHE

“Nós vamos vencer essas eleições porque nós não somos o Wilson Santos, que fez com o perdão da palavra, uma cagada em Cuiabá e fugiu. Nós vamos vencer as eleições porque não somos o Emanuel Pinheiro, que conforme Mauro Mendes definiu, comeu na mesa dele, dormiu na cama, atravessou a rua e falou mal, ou seja, é um traidor”.

Foi com esse discurso que o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva (PDT) se lançou candidato a Prefeitura de Cuiabá na noite desta sexta-feira (5), no Centro de Eventos do Pantanal.

Com um tom afiado, ele afirmou que vai derrotar a “miscelânea golpista” formada pelos candidatos Wilson Santos (PSDB) e Emanuel Pinheiro (PMDB).

 “Aquele que dormiu com Emanuel Pinheiro [Mauro Mendes], apoia o que fugiu de Cuiabá [Wilson Santos] e que dizia que era inimigo desse que dormia com Emanuel Pinheiro [Mauro Mendes],  cujo o vice é primo daquele que fugiu de Cuiabá [Leonardo Oliveira], então veja bem: reveza Wilson.  Reveza Mauro. Nós não vamos deixar que isso aconteça em Cuiabá, vamos derrotar essa miscelânea golpista”, disse.

A convenção de Julier contou com vários estudantes que recentemente ocuparam diversas escolas na Grande Cuiabá, com grupos de LGBTs  (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis Transgêneros) e sem-terra.

Com o apoio do PT e PCdoB, o ex-juiz federal anunciou o nome da suplente de deputada federal Jusci Ribeiro (PT) como vice. Disse que a união com o PT, que teve a presidente Dilma Roussef afastada, não enfraquece a sua campanha.

“Ao contrário, aqui em Cuiabá são os outros candidatos que tem secretários presos, do PSDB, do PMDB. O PT não tem nenhum de seus dirigentes envolvidos em escândalo e, portanto, muito nos orgulha essa aliança”, garantiu.

A candidata a vice-prefeita, Jusci Ribeiro (PT), elencou três linhas de atuações: a primeira é denunciar o impeachment. A segunda mostrar os legados de Dilma e do seu antecessor Luís Inácio Lula da Silva e, a terceira, discutir a Cuiabá de 300 anos. "O povo dessa cidade merece o que há de melhor", frisou.  

“Humilde”

Às 21h45, Júlier começou seu discurso de 12 minutos dizendo que vai mudar Cuiabá. Ele lembrou  sua trajetória e se intitulou um cara “humilde”.

“É a minha trajetória que me dá a honra e a dignidade de estar aqui e olhar para cada um de vocês e dizer que é esse cara humilde de Chapada dos Guimarães, que estudou na escola técnica de Cuiabá, na UFMT, e na Inglaterra, que vai mudar a história de Cuiabá.  É esse cara humilde que vai fazer aquilo que foi negado ao companheiro Alexandre Cesar e Ludio Cabral. É esse cara que vai cuidar de cada um de nós cuiabanos”, afirmou.

O ex-juiz disse ainda que a aliança entre o PDT, PT e PCdoB é histórica e cutucou o governador Pedro Taques, que deixou o PDT e filiou-se ao PSDB.   

“E é esse conjunto de partidos, este conjunto de força do PDT que ressurge após uma traição espúria, esse PT que sofre com golpe da nossa presidenta eleita, e é esse PCdoB de lutas históricas, esse conjunto de forças de movimentos sociais, estudantis, que vai dar a força e a energia para esse cara aqui se eleger”, relatou.

Julier finalizou dizendo que vai lutar pelo povo pobre e pelos direitos das mulheres, negros, LGBT’s e jovens.

“Aqui tem sangue de povo, cabelo de povo, cheiro de povo, e fome de povo, fome de comida, fome de políticas sociais, fome de saúde, mas sobretudo fome de direitos, direitos que incluem mulheres, que incluem negros, LGBTs, crianças, jovens e idosos. Vamos governar para o nosso povo pobre, vamos governar para que nossos trabalhadores e trabalhadoras tenham creches porque o prefeito empresário não coloca uma creche nem no Distrito Industrial que tem 10 mil trabalhadores e é isso que nós vamos fazer diferente”, pontuou.


Autor:Thaiza Assunção com Midia News


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<