Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Ministro-chefe da Casa Civil diz que situação da crise vai piorar




COMPARTILHE

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou ontem que o governo compreende a situação fiscal ruim dos estados. Segundo ele, em 17 ou 18 deles os governadores se converteram em "meros administradores de departamento pessoal". Na avaliação dele, a situação pode se agravar: "É o início de um processo que, se não tiver reversão, vamos ver ser incrementado nos demais estados", disse Padilha.

Ele reforçou que o presidente Michel Temer tem consciência da "dura situação" e que a solução virá com medidas difíceis. "Não digo que sejam medidas amargas, são saneadoras. Nunca vi curar doença grave a não ser com remédio forte", disse.

A alternativa encontrada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de dar aval a R$ 20 bilhões de empréstimos para ajudar os estados que ameaçam decretar estado de calamidade financeira, na prática, seria de apenas R$ 8,5 bilhões. O restante, já foi utilizado.

Dos 27 estados da Federação, apenas 16 possuem condições de adquirir empréstimos do Tesouro e todos já realizaram pedidos à secretaria ligada ao Ministério da Fazenda. Agora, o governo irá analisar caso a caso os pedidos.

A equipe de Meirelles avalia ainda que dificilmente os outros estados terão o poder do Rio de Janeiro, que sediou os Jogos Olímpicos e recebeu R$ 2,9 bilhões para segurança ao decretar estado de calamidade. A avaliação é de que, caso o governo não tivesse ajudado o Rio, um desastre nos Jogos mancharia a imagem do País.

A proposta de Meirelles também dividiu opinião entre os governadores. Enquanto governadores de estados do Sul e Sudeste, como São Paulo, Santa Catarina e Paraná anunciaram que pretendem utilizar a ferramenta, representantes da região Nordeste alegam que isso não resolve o problema. O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, não quis se pronunciar, dizendo que só vai falar após o encontro com o presidente Temer, que volta amanhã ao país. 


Autor:Rafael Costa com Diario de Cuiaba


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<