Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Táxi aéreo contratado por José Riva teria sido bancado por desvios da ALMT




COMPARTILHE

Uma parte do dinheiro supostamente desviado pelo ex-deputado estadual José Riva, no esquema investigado na Operação Ventríloquo, teria sido usado para pagar taxi aéreo.

A informação consta no depoimento prestado pelo piloto e proprietário da empresa Jato Aerotaxi, Janio Lopes Toledo, na 1ª Promotoria de Justiça Criminal da Comarca de Alta Floresta (803 km ao Norte de Cuiabá), no dia 1º de julho de 2016.

Conforme o Ministério Público Estadual (MPE), Toledo  foi beneficiado com um cheque no valor de R$ 40 mil emitido pelo então advogado do HSBC, Joaquim Fabio Mielli Camargo – delator da primeira fase da operação – em abril de 2014.

No total, a operação apura o desvio de R$ 9,4 milhões dos cofres do Legislativo, por meio de pagamentos indevidos a Mielli. Riva chegou a ser preso pelo esquema, no dia 1º de julho de 2015, mas foi solto no mesmo dia.

No depoimento, Toledo alegou que recebeu o cheque como forma de pagamento de voos contratados em 2002 pelo Riva, então presidente da Assembleia, no valor de R$ 40,9 mil.

“Pelo que me recordo, um desses voos foi para atender o então deputado federal Ricarte de Freitas. Esses voos eram sempre para levar pessoas indicadas pelo deputado Riva, que me ligava e pedia os serviços. Esses voos nunca abrangeram o transporte do deputado Riva, que nunca voou comigo. Eram sempre para transporte de terceiros, mediante solicitação do deputado Riva”, disse.

A conta dos voos, conforme o piloto, não foram pagos na época da contratação. Em razão disso, em 2014, ele informou que procurou o deputado Romoaldo Junior (PMDB) – que seria seu amigo – para ajudá-lo a receber o dinheiro.   

O parlamentar, conforme Toledo, disse que “iria ver a situação” e teria pedido a ele cópia das notas fiscais do serviço e o número de sua conta.

“Um dia, ainda no ano de 2014, mas não me recordo o mês, recebi um telefonema de uma pessoa que disse que iria realizar o pagamento. Essa ligação foi realizada pelo gabinete do deputado Romoaldo”, afirmou.

“Falaram para, no dia seguinte, eu conferir minha conta para verificar se o pagamento havia sido realizado. Então eu realizei a conferência no dia seguinte e, assim, verifiquei que havia sido realizado um pagamento no valor R$ 40 mil em minha conta. Embora não tenha sido depositado o valor integral, ou seja, a quantia de R$ 40,9 mil, achei que aquele valor já estava bom”, relatou. 


Autor:Thaiza Assunção com Midia News


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<