Segunda-Feira, 20 de Janeiro de 2020

Em 2016, bandidos fizeram 74 ataques as agencias bancarias de Mato Grosso




COMPARTILHE

No ano de 2016, foram registradas 74 ações violentas contra agências bancárias que englobam assaltos a banco e explosão em caixas eletrônicos. O levantamento realizado pelo Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB/MT) aponta uma redução de 16% em relação ao ano passado. No total, em 2015, foram registradas 86 ocorrências. O mapeamento tem como base informações obtidas em visitas às agências bancárias e em dados coletados através de ocorrências divulgadas pela mídia.

Desde o início de 2016, o Seeb/MT registrou 30 assaltos, 10 arrombamentos e 32 explosões a caixas eletrônicos, sendo que apenas dois terminais de autoatendimento, instalados fora das agências, foram explodidos, inclusive, um terminal instalado dentro do Comando Geral. Ainda foram registrados: um ataque a carro-forte e uma saidinha de banco.

Dos 30 assaltos ocorridos em agência bancárias na modalidade “a vapor”, comparando com as ocorrências de 2015, o número, praticamente, dobrou. No ano passado, o Sindicato contabilizou 15 assaltos. A modalidade “a vapor” é caracterizada por bandidos, armados, que invadem as agências e rapidamente realizam o ataque. Ainda, desses 30 assaltos ocorridos em 2016, o alvo principal foram às cooperativas de créditos. Atacadas 17 vezes.

Para o presidente do Seeb/MT, Clodoaldo Barbosa, esses números refletem a negligência dos bancos e dos governos no zelo da segurança. “Esse trabalho do Sindicato tem por objetivo conscientizar tanto os bancários como os clientes e toda a sociedade que os bancos são os responsáveis pela segurança e que eles podem e devem melhorar a segurança nas agências, inclusive elaborando um plano específico para as unidades em áreas de risco”, afirma ressaltando que essa irresponsabilidade dos bancos coloca em risco a vida da categoria, dos clientes e usuários do sistema financeiro.

De acordo com a secretária de assuntos de saúde e condições de trabalho do SEEB/MT, diretora da CUT/MT e funcionária do Itaú, Italina Facchini, a segurança é um fator que interfere nas condições de trabalho, afetando principalmente, a saúde física e mental dos bancários e bancárias.

A diretora ainda alerta aos trabalhadores para a necessidade de emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT). Os bancos chegam a denunciar o crime à polícia, no entanto, deixam de comunicar ao Sindicato e ao INSS, aumentando a subnotificação, além é claro, de prejudicar o bancário. “Os bancos querem se ‘livrarem’ da responsabilidade de cuidar da saúde do bancário, pois, a grande maioria passa por transtornos psicológicos após um assalto. É preciso denunciar essa negligência dos bancos”, afirma a secretária.

Denúncia

O Sindicato alerta aos bancários que em caso de assalto ou sequestro, os trabalhadores devem fazer uma série de procedimentos, inclusive avisar a entidade sobre o acontecido. Para quem teve problemas de transtornos mentais após o assalto, deve-se guardar todas as provas e documentos médicos, além de uma cópia do Boletim de Ocorrência relatando o assalto.

Reivindicações

Dentre as principais reivindicações da categoria estão à abertura e fechamento das agências, além do transporte das chaves através de empresa especializada em segurança; a emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) para quem presenciou assalto ou foi vítima de sequestro; o fechamento da agência ou posto no dia do assalto, em razão do impacto da ação criminosa; a instalação de porta giratória de segurança antes do acesso ao autoatendimento nas agências e postos, além de vigilância e câmeras de vídeo interna e externa.

 


Autor:Redação AMZ Noticias


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Noticia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias

<