Segunda-Feira, 23 de Setembro de 2019

Empresário de Mato Grosso que extorquiu Lula é condenado por lavagem




COMPARTILHE

Um dos empresários com domínio do transporte coletivo de Cuiabá na década de 90 até o início dos anos 2000, Ronan Maria Pinto foi condenado pelo juiz federal do Paraná, Sérgio Moro, a pena de cinco anos de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro.

A condenação divulgada nesta quinta-feira (2) é resultado da 27ª fase da Operação Lava Jato denominada Operação Carbono.

As investigações da Polícia Federal descobriram que Ronan Maria Pinto recebeu R$ 6 milhões de um empréstimo fraudulento feito junto ao Banco Schahim em favor do PT. O dinheiro foi pago após Ronan Maria Pinto chantagear o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e o ex-secretário geral da Presidência da Republica, Gilberto Carvalho.

A chantagem funcionou da seguinte maneira: ou a cúpula do PT pagava R$ 6 milhões a Ronan Maria Pinto para comprar o Diário do ABC, jornal da região de São Paulo, ou seriam divulgadas reportagens comprometendo a cúpula do PT no assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel. Sem dúvida, Lula e o PT optaram em ceder a chantagem.

 


Autor:AMZ Noticias com Agência Estado


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<