Terca-Feira, 07 de Dezembro de 2021

Veja porque o transporte de Curitiba é muito melhor que o de Cuiabá?




COMPARTILHE

São muitas as reclamações dos usuários do transporte coletivo em Cuiabá. Para 83% dos usuários, o conforto dos ônibus é “ruim ou péssimo”. O grau de conservação também é ruim na opinião de 68, 81% dos entrevistados e 26,60% quebram “muitas vezes” 70 .

De tanto receber denúncias, o Gazeta Digital foi atrás de saber qual é a capital onde o usuário é melhor atendido e por que.

Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), que é uma organização não-governamental sem fins lucrativos, criada em 1977, para acompanhar o setor de transporte público e do trânsito do Brasil, afirma que essa capital modelo ainda é Curitiba.

Superintendente da ANTP, o engenheiro Luiz Carlos Mantovani Néspoli, é um crítico ao transporte coletivo no país, acha que ainda temos muito a evoluir, para sermos comparados a uma Espanha, por exemplo, onde os coletivos marcam de passar 16h04, por exemplo, e neste horário o usuário que estiver no ponto vai atendido.

Segundo ele, Curtiba também tem problemas, mas nada que se compare às capitais como Cuiabá, que estão entre as mais complicadas nesse setor.

Néspoli ressalta que há dois elementos importantes na avaliação de um sistema de transporte: o aspecto técnico e outro mais subjetivo, que tem a ver com o bem estar do passageiro, como ele se sente como cliente.

A pedido do GD, ele elencou 10 itens indicadores de qualidade do serviço, entre eles o tempo que o usuário caminha até o ponto de ônibus, se este caminho é seguro, se os coletivos passam no horário certo nos pontos de parada, se o passageiro pode confiança no tempo de percurso, se na cidade tem via exclusiva para ônibus, se a população faz baldeação sem tumulto, de qual é a lotação em horários de pico, a idade da frota e o preço da tarifa.

Dados foram solicitados não ao empresariado concessionário do setor mas às secretaria de mobilidade urbana das duas cidades. Curitiba atendeu de pronto, mas até o fechamento desta matéria, após mais de 24 horas, Cuiabá não respondeu.

Por isso, muitas das Informações sobre o sistema em Cuibá usadas no comparativo constam em relatório de Auditoria Operacional do Transporte Coletivo Urbano de Cuiabá feita pelo TCE-MT.

Veja como ficam esses itens no comparativo entre Cuiabá e Curitiba.

1 - Quanto tempo o usuário caminha até chegar a um ponto de parada?

Curitiba: Por força de legislação municipal, o usuário não pode caminhar mais de 500 metros para ter acesso à uma linha de ônibus. Isso em toda cidade.

Cuiabá - TCE-MT determinou que a Semob aperfeiçoe "o acesso dos usuários à rede de linhas do sistema de transporte público, de modo a melhorar o tempo de deslocamento dos usuários aos pontos de acesso ao transporte coletivo urbano".

2 - Qual é a qualidade deste caminho? Tem calçada, a rua é pavimentada, é envolta por matagal, tem iluminação pública?

Curitiba - Todos os pontos de parada com abrigo contam com calçamento, porém, esta calçada é apenas na área do abrigo, não sendo possível afirmar como é o caminho da residência até o ponto de parada da linha de cada usuário. Atualmente 82% dos pontos de parada da capital paranaense contam com abrigo.

Cuiabá -  Não foi informado.

3 - Há respeito ao horário em que as linhas passam nos pontos de parada?

Curitiba - Os horários das linhas são controlados pelo Centro de Controle Operacional da URBS, que é a secretaria municipal de mobilidade urbana local, e, dentro do contrato de concessão firmado com as operadoras do sistema, foram fixados instrumentos para análise e controle destes horários, de forma que as empresas tem metas e cumprir mensalmente e, caso estas metas não sejam alcançadas, são autuadas e podem sofrer descontos em sua remuneração mensal.

Cuiabá - O município de Cuiabá possui 84 itinerários que são atendidos por 421 ônibus.ausência de indicadores de desempenho; e inobservância, por prestadores e município, dos mecanismos de avaliação do desempenho estabelecidos em contrato.

Constatou-se ainda que nem mesmo os dados básicos da operação são acompanhados (por exemplo, cumprimento do horário das viagens e número de viagens realizadas). Esses dados são registrados e monitorados exclusivamente pela empresa concessionária que, por sua vez, não envia qualquer relatório consolidado acerca da operação para o município.

4 - Usuário pode confiar no tempo gasto no percurso?

Curitiba - As empresas têm uma quilometragem total a ser percorrida mensalmente e dentro deste total, atualmente, 99% vem sendo cumprido. Assim, podemos afirmar que os veículos do sistema estão cumprindo a maior parte das viagens programadas, garantindo ao usuário alto índice de confiabilidade no sistema.

Cuiabá - Auditories do TCE-MT detectaram ausência de indicadores de desempenho e inobservância, por prestadores e município, dos mecanismos de avaliação do desempenho estabelecidos em contrato.

Constatou-se ainda que nem mesmo os dados básicos da operação são acompanhados (por exemplo, cumprimento do horário das viagens e número de viagens realizadas). Esses dados são registrados e monitorados exclusivamente pela empresa concessionária que, por sua vez, não envia qualquer relatório consolidado acerca da operação para o município.

5 - A cidade tem via exclusiva para o modal ônibus em quais pontos da cidade ou se restringem apenas à região central?

Curitiba - Tem 85,6 km de corredores exclusivos de BRT distribuídos pelas regiões Norte, Sul, Leste e Oeste, Boqueirão e Linha Verde que atendem uma demanda de mais de 560 mil passageiros por dia. Conta também com faixas exclusivas para os ônibus dentro do sistema viário da cidade. São hoje, 5,69 km de faixas exclusivas que beneficiam mais de 200 mil passageiros.

Cuiabá - A Semob não informou mas de acordo com o que já foi publicado há faixa exclusiva para ônibus na avenida do CPA, avenida Isaac Póvoas e na avenida da Prainha. Mas não é isolada e os carros têm ocupado esse espaço irregularmente. Há ainda previsão de via exclusiva para a avenida 15 de novembro, no bairro do Porto.

6 - Como são os pontos de parada ou os chamados pontos de ônibus?

Curitiba - Mais de 82% dos pontos de parada estão equipados com abrigos. Os 18% restantes dos pontos que ainda não apresentam proteção, são pontos não prioritários situados no contra-fluxo das linhas, onde o usuário utiliza o local apenas para desembarque do coletivo e segue direto para seu destino, ou seja, não fica parado no local aguardando a chegada do ônibus.

Os abrigos diferem conforme a demanda de passageiros que apresentam. Podem ser modelos mais modernos com iluminação, placas de acrílico para proteção contra intempéries e painéis de publicidade, ou estruturas mais simples composta por coberturas de fibra de vidro.

Cuiabá - TCE-MT recomenda que a Semob implemente "procedimentos para diagnosticar e acompanhar a estrutura física dos pontos de parada, terminais e frota do sistema de transporte coletivo, mediante critérios objetivos de avaliação". Outra coisa que os auditores do TCE verificaram é "o elevado tempo de espera dos usuários nos pontos de parada, a superlotação nos ônibus e nos pontos de acesso ao transporte coletivo e a reincidência das empresas nas infrações à legislação de transporte do município".

7 - Baldeação - como funciona a integração entre modais?

Curitiba - Só tem o modal ônibus. A integração entre as linhas ocorre mais fortemente através de Terminais e em diversas Estações tubo distribuídas por toda a cidade. Dentro destes equipamentos os usuários podem trocar de uma linha para outra e não pagam nova tarifa. São 21 terminais de Integração e 329 estações tubo localizadas nos diferentes bairros da cidade. Esta modalidade atende mais de 90% da população, permitindo que os deslocamentos, mesmo utilizando mais de uma linha, tenham sempre o custo de uma única tarifa.

Cuiabá - Só tem o modal ônibus. Integra entre linhas diferentes, dentro de um período de 2 horas, mediante uso do cartão de transporte que só cobra a primeira viagem. Em qualquer ponto da cidade, incluindo os ônibus de Várzea Grande. Além disso, tem 4 terminais de integração (Terminal de integração do CPA I, Terminal de integração do CPA III, Terminal ou ponto final Pedra 90, Terminal ou ponto final Antártica). Informações apuradas pela reportagem.

8 - Qual é a lotação dos carros?

Curitiba - Em horários de pico o sistema utiliza o parâmetro de lotação máxima de 6 passageiros por m² no interior dos ônibus. Para avaliar se este parâmetro está sendo atendido, a URBS, através de equipes próprias, realiza pesquisas periodicamente de acompanhamento da evolução da demanda das linhas e implementar alterações ou ajustes sempre que necessário. Atualmente a oferta de veículos está compatível com a demanda de usuários em todas as linhas do sistema.

Cuiabá - De acordo com o TCE-MT, as empresas concessionárias não fornecem estudos periódicos da demanda. Esses documentos auxiliariam a gestão municipal no conhecimento da demanda nas diversas localidades e períodos do dia, de acordo com relatório do TCE-MT.

9 - Qualidade a idade da frota? Têm ar condicionado, elevador para cadeirantes e pessoas com dificuldade de mobilidade, cadeira para idosos e gestantes?

Curitiba - Média da frota é de 7,9 anos. Esta idade média, porém é mais alta que a prevista para o sistema por conta de uma liminar que as operadoras tinham para a não renovação da frota nos últimos anos. No entanto, em 2017, já foi acertada a aquisição de 270 novos ônibus para renovação desta frota, e, a partir da entrada destes novos veículos, a idade média da frota voltará a ser de 5 anos, retornando ao parâmetro previsto nos contratos de concessão. Todos os ônibus da frota passam por inspeções periódicas que podem ser de 3 ou 6 meses, dependendo do ano de fabricação do veículo. Quanto à existência de ar-condicionado, este não é um item exigido em nosso sistema devido às condições climáticas da cidade. Quanto à acessibilidade, atualmente, 93,73% dos veículos da frota são acessíveis com elevadores ou plataformas para embarque em nível. Todos os 21 terminais de integração da cidade cumprem as normas específicas para acessibilidade definidas na legislação vigente.

Cuiabá - Mais de 60% dos ônibus que atendem usuários do transporte público em Cuiabá têm idade acima do previsto em contrato de concessão, conforme Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec). A média atual é 6,53 anos. Do total da frota, 29 veículos já estão rodando há mais de 10 anos.

10 - Qual o preço da tarifa.

Curitiba - R$ 4,25.

Cuiabá - R$ 3,60. 

Curitiba x Cuiabá

 


Autor: Keka Werneck com Gazeta Digital


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Noticia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias