Quinta-Feira, 23 de Janeiro de 2020

Fávaro diz que “Não dá para negar o momento politico é ruim, mas vamos superar”




COMPARTILHE

O vice-governador do Estado, Carlos Fávaro (PSD) classificou como “lamentável” a prisão do ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, ocorrida na última sexta-feira (4).

Paulo Taques foi preso preventivamente por decisão do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. A detenção motivada pela acusação de que ele teria mandado "grampear" sua ex-amante, a publicitária Tatiana Sangalli, e sua ex-assessora Carolina Mariane, além do risco de que possa atrapalhar a investigação.

Fávaro disse que não há como negar que o episódio é prejudicial ao Governo de uma forma geral.

“É lamentável. É um fato que deve ser avaliado, certamente é ruim para o Governo, trata-se do ex-chefe da Casa Civil. Não dá para negar que é um momento ruim, mas nós vamos superar”, disse ele, na manhã deste sábado (5), durante a Caravana da Transformação, em Barra do Garças (509 km de Cuiabá).

O vice-governador defendeu também que o caso seja tratado com cautela, já que se tratam de acusações graves. Disse ainda que o ex-secretário Paulo Taques terá o direito de se defender e, com isso, os fatos deverão ser “esclarecidos”.

“Acho que este é um momento de cautela, de dar amplo direito de defesa ao ex-secretário e aí as coisas caminham com mais tranquilidade. Tenho certeza que tudo será esclarecido”, afirmou.

“Este é um assunto que tem que ser expressamente investigado e apurado com transparência, porque grampo ilegal é um assunto de extrema delicadeza. Temos que garantir a transparência na investigação, na apuração, e culpar os responsáveis”.

Questionado se o episódio poderá influenciar na disputa eleitoral do próximo ano, quando Pedro Taques (PSDB) deverá sair candidato à reeleição, Fávaro limitou-se a dizer que não.

Preso

A prisão preventiva decretada contra Paulo Taques foi motivada pela acusação de que ele teria mandado "grampear" sua ex-amante, a publicitária Tatiana Sangalli, e sua ex-assessora Carolina Mariane.

Outro argumento foi o risco dele destruir provas e documentos importantes para a investigação, uma vez que ainda teria forte influência no Governo.

O decreto prisional foi cumprido na tarde desta sexta-feira (4), por ordem do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. A prisão foi assinada na quinta-feira (3). O ex-secretário ficará detido no Centro de Custódia da Capital (CCC).  

Paulo Taques é suspeito de ter integrado esquema que operou escutas clandestinas ilegais no Estado, juntamente com um grupo de policiais militares.

Os "grampos" ocorriam por meio da tática "barriga de aluguel", quando números de pessoas não investigadas são inseridos indevidamente em um pedido de quebra de sigilo telefônico.

 


Autor:AMZ Noticias com Midia News


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Noticia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias

<