Terca-Feira, 12 de Novembro de 2019

Supremo Tribunal Federal emite ordem de prisão contra o deputado Gilmar Fabris




COMPARTILHE

O Deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) foi alvo novamente de mandado de busca e apreensão expedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, na manhã desta sexta-feira (15). A Polícia Federal vasculhou a casa dele em Rondonópolis e encontrou motivo para prendê-lo.

Informações preliminares dão conta que também existe um decreto de prisão e afastamento contra o parlamentar, que não foi encontrado pelos agentes em seu apartamento no bairro Santa Rosa, em Cuiabá. A informação foi confirmada pelo deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho (PSB).

Por telefone, o deputado explicou que por volta de 5h30 da manhã a Polícia Federal esteve em seu apartamento onde encontraram uma fita. Após análise, foi entendido que houve obstrução de Justiça, o que motivou o pedido de prisão, já decretado por Fux, mas ainda sob sigilo. O deputado estava no avião em retorno a Cuiabá quando a reportagem falou com ele. O Gazeta Digital está acompanhando os desdobramentos da Operção Malebolge.

Foram realizadas novas diligências no apartamento do deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) no bairro Santa Rosa na manhã de hoje. As buscas e apreensões são referentes à Operação Malebolge, desencadeada na quinta-feira (14). O social democrata é um dos parlamentares que supostamente teriam recebido mensalinho na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Cerca de quatro policiais estiveram no edifício Campo DOurique. O deputado não estava no imóvel. De acordo com assessoria, ele está em Rondonópolis cumprindo agenda política. Mais documentos e aparelhos eletrônicos foram apreendidos no apartamento e encaminhados a Polícia Federal.

Na noite de quinta-feira (14), dia que a operação foi deflagrada, policiais federais também voltaram a Assembleia Legislativa e estiveram na central de informática da Casa de Leis. Não se sabe que material foi resgatado.

Outro lado

Diante desta situação, o Deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) afirma, por meio de nota, que respeita o papel da Justiça no seu dever de investigação e no momento oportuno vai apresentar sua defesa.

Confira a íntegra da nota

 

“Com relação ao pedido de prisão autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, o deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) nega que tenha agido para destruir provas ou obstruir a Justiça”.

O parlamentar estava desde ontem em Rondonópolis. Ao tomar conhecimento da ordem de prisão pegou a estrada em direção a sede da Polícia Federal em Cuiabá para se apresentar acompanhado dos seus advogados de defesa.

“A legislação autoriza a prisão de parlamentares somente em caso de flagrante ou crime inafiançável, o que não se enquadra ao caso e será questionado pela defesa.”

 


Autor:AMZ Noticias com Gazeta Digital


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<