Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Grupo político ligado a Pedro Taques assume executiva regional do PPS




COMPARTILHE

O secretário de Estado de Educação, Marco Marrafon, é o novo presidente estadual do PPS. Ele substitui o ex-prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz, destituído do cargo pela executiva nacional do partido, em documento assinado pelo presidente da sigla, Roberto Freire, na última quinta-feira, dia 1º.

A executiva estadual da sigla foi toda destituída e uma nova comissão, com validade de 60 dias, foi montada. De acordo com a resolução do diretório nacional do PPS, a mudança foi tomada “considerando-se a necessidade de organização e preparação dos congressos municipais e estadual no Mato Grosso”.

Além de Marrafon, foram nomeados Francisco Wagner Simplício, como vice-presidente, e Werley Peres, como segundo-vice. Peres faz parte do grupo do governador Pedro Taques (PSDB) e foi secretário de Saúde de Cuiabá.

Quem também integra a nova cúpula estadual do PPS é a advogada Luciana Serafim, que será a primeira–secretária geral. Fecha a lista o novo tesoureiro do partido, José Adolpho, presidente do Desenvolve MT.

Marrafon é apontado como pré-candidato a uma vaga na Câmara dos Deputados, em Brasília. Um dos seus principais aliados políticos é o apresentador Luciano Huck, da Rede Globo.

Ambos integram o movimento "Agora!". O global, inclusive, é apontado como um dos possíveis candidatos a presidência da República nas eleições deste ano.

Percival Muniz liderava o PPS desde os tempos em que o hoje ministro da Agricultura e senador licenciado, Blairo Maggi, governava o Estado, entre 2003 e 2010. Um dos fatores que pesou na decisão da executiva nacional em destituí-lo é o fato de ele ter feito "pouco caso" dos possíveis novos filiados no PPS.

A sigla pela qual Blairo Maggi se elegeu governador por duas vezes, perdeu força quando o atual ministro foi para o PR, juntamente com seu grupo político. Percival ficou como a única liderança significativa no PPS, sendo eleito deputado e prefeito de Rondonópolis, cargo que deixou em 2016 após não se reeleger. 


Autor:AMZ Noticias com Midia News


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<