Quinta-Feira, 19 de Setembro de 2019

Mato Grosso tem 177 adolescentes internados em socioeducativos e 21% deles são provisórios




COMPARTILHE

Em Mato Grosso, 177 adolescentes em conflito com a lei estão internados em centros socioeducativos do estado, segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Desse total, cerca de 21% não tiveram nenhuma sentença aplicada e estão sob a condição de provisórios.

O estudo foi elaborado pelo Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e das Medidas Socioeducativas do CNJ. Por meio de assessoria, a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT) alegou que, atualmente, 104 adolescentes estão internados em Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Lucas do Rio Verde, Cáceres e Barra do Garças.

Na região Centro-Oeste, Mato Grosso é o estado com o menor número de adolescentes internados. O Distrito Federal aparece na frente com 660, seguido de Goiás (267) e Mato Grosso do Sul (205). No Brasil, São Paulo lidera o ranking: são 6,7 mil adolescentes internados. Em contra ponto, o Amazonas é o último da lista com 39 menores.

Levantamento - O documento inclui apenas os adolescentes que estão internados – ou seja, que cumprem medidas em meio fechado -, e não aqueles que cumprem outras medidas, como a semiliberdade e a liberdade assistida. Os juízes da Infância e Juventude definem a punição de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A internação é a opção mais rigorosa, não podendo exceder três anos - sua manutenção deve ser reavaliada pelo juiz a cada seis meses.


Autor:AMZ Noticias com G1


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<