Sábado, 17 de Agosto de 2019

Bolsonaro desmente secretário da Receita e diz que não vai criar novo imposto para igrejas




COMPARTILHE

O presidente Jair Bolsonaro publicou na manhã desta segunda-feira (29) um vídeo em seu perfil no Twitter afirmando que nenhum novo imposto será criado durante o seu governo. O vídeo é uma resposta à declaração do secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, que afirmou em entrevista que seria criado um novo imposto que acabaria com a contribuição previdenciária que incide sobre a folha de pagamento dos brasileiros.

Cintra declarou que um novo tributo seria criado com o objetivo de simplificar o modelo de arrecadação no país. A medida afetaria inclusive as igrejas, que atualmente são isentas desse tipo de tributação. No vídeo, Bolsonaro alega que foi surpreendido com a declaração de Marcos Cintra e faz questão de ressaltar que nenhum imposto será criado para as igrejas. Na legenda da publicação, o presidente escreveu que “nenhum novo imposto será criado”, com a sua assinatura embaixo.

“Bom dia a todos. Fui surpreendido nessa manhã com a declaração do nosso secretário da Receita de que seria criado um novo imposto para as igrejas. Eu quero me dirigir a todos vocês dizendo que essa informação não procede. Em nosso governo, nenhum novo imposto será criado, em especial contra as igrejas”, disse.Cintra declarou em entrevista que o novo tributo iria incidir sobre todas as transações financeiras, bancárias ou não. A alíquota seria de 0,9% e seria dividido entre o pagador e quem estaria recebendo os valores.


Autor:Redação AMZ Noticias


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<