Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019

Mortes por acidentes de trabalho em Mato registram aumentam 32% durante o ano de 2018




COMPARTILHE

Mato Grosso registrou, no ano passado, 108 acidentes de trabalho com mortes. O número é 32% maior que o verificado em 2017, conforme informações do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho.

Na última quarta-feira (24), o Ministério Público do Trabalho e a Organização Internacional do Trabalho, responsáveis pelo desenvolvimento do Observatório, divulgaram os dados atualizados até 2018.

No Brasil, foram 2,022 mil mortes contabilizadas no ano passado, 30 a mais que em 2017. Apesar da pequena variação, foi a primeira vez, desde 2013, que o número voltou a subir. Até então, seguia uma trajetória de forte queda.

As informações revelam que Mato Grosso ocupa a 11º colocação no ranking nacional de acidentes de trabalho no acumulado dos últimos sete anos. De 2012 a 2018, foram registrados cerca de 70 ocorrências no estado, ou 2% do total verificado no Brasil. São Paulo (37%­­), Minas Gerais (10%) e Rio Grande do Sul (8%) figuram nas primeiras posições.

No mesmo período, ocorreram 4,5 milhões de acidentes e doenças que vitimaram trabalhadores, com um gasto previdenciário estimado em R$ 80 bilhões, somente com despesas acidentárias. Ao todo, foram cerca de 17 mil mortes.

Setores atingidos - Em relação a Mato Grosso, os dados atualizados pelo Observatório indicam que o setor de abate de animais é que mais contabiliza acidentes. De 2017 a 2018 foram 13 mil, ou 18% do total de ocorrência no estado. Entre os tipos de lesões mais comuns, a fratura figura na primeira colocação: Foram cerca de 17 mil, seguida por cortes e lacerações, com 15 mil, e contusões e esmagamentos, com 8 mil. Aproximadamente 1,4 mil trabalhadores sofreram amputações.

Eletrocutados - Somente em abril, ao menos dois trabalhadores morreram eletrocutados em Mato Grosso. O caso mais recente foi registrado na segunda-feira (29), em uma fazenda, localizada em Sorriso, onde São Luiz Gonzaga subiu em uma árvore e morreu ao ter contato com fios de alta tensão. Já no dia 17, em Rondonópolis, Leandro Carlos Lopes , de 42 anos, fazia manutenção em uma distribuidora de frutas e verduras, quando morreu eletrocutado.

Soterrados - Entre os casos de morte de trabalhadores rurais registrados em 2019, também está o de dois funcionários de uma fazenda de Sorriso, que morreram soterrados ao cavar um poço, no dia 27 de março.


Autor:AMZ Noticias com Repórter MT


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<