Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020

Energisa remove mais de 4 toneladas de cabos clandestinos de TV a cabo em Cuiabá




COMPARTILHE

Para reduzir o emaranhado de fios nos postes de luz de Cuiabá, a Energisa Mato Grosso intensificou o processo de fiscalização de cabos de telecomunicações instalados por empresas telefonia ou de internet que passam pelos postes da distribuidora de energia, na capital. Ao longo de 2019, os técnicos identificaram e retiraram mais de quatro toneladas de materiais clandestinos e irregulares, o que representa 70 quilômetros de rede elétrica na cidade.

Segundo o coordenador de projetos e construção da Energisa, Marcelo Donizeti Pazoti, periodicamente, a fiscalização dos postes é realizada com o objetivo de certificar se as empresas de telecomunicações estão instalando corretamente os equipamentos. “Ao passar pelas ruas de Cuiabá é visível que muitas empresas não estão fazendo a manutenção conforme a Energisa pede. A intensificação das fiscalizações começaram para garantir para evitar situações de risco para a população, e melhorar o visual da cidade”, explica Marcelo.

Conforme a legislação em vigor, a manutenção dos cabos de telecomunicações deve ser feita pelas empresas proprietárias, ou seja, aquelas que instalaram o material. Só podem usar os postes aquelas empresas que possuem contrato com a Energisa para evitar a superlotação dos postes e para garantir a segurança da rede. Ainda conforme as normas técnicas, podem ser feitas até cinco ligações em um poste: porém muitas empresas ultrapassam esta capacidade.

 “Retiramos não só os cabos daqueles que não tem contrato. Existem empresas com contrato conosco, mas que não apresentam o projeto técnico e  ainda sim realizam a instalação do cabeamento. O importante é verificar se a área comporta a instalação. É possível encontrar na capital postes envergados por conta do peso. Nesses casos entramos em contato imediatamente e tentamos regularizar a situação com as empresas o mais breve possível”, detalha.

Ao identificar irregularidades na instalação, as operadoras que possuem contrato são notificadas para que realizem a adequação dos cabos. Caso a empresa não realize a adequação dos cabos, a Energisa faz a remoção, caso sejam encontrados cabos clandestinos eles também são retirados. “Com o trabalho realizado em 2019 identificamos sete empresas que estavam ocupando postes de maneira irregular e tiveram seus cabos removidos”, explica.

Conforme estimativa da empresa, apenas na capital, cerca de 10 toneladas de cabeamento ainda estão de forma irregular. Em algumas áreas, como o Centro Histórico, por exemplo, estão saturadas e não comportam mais a instalação de novos fios.

“Quando se tem pontos emaranhados ou instalados incorretamente, corre-se o risco do fio ficar solto, e a maioria da população não consegue identificar a diferença entre um fio de telefonia e o de energia elétrica. Além disso, os emaranhados dificultam o trabalho de manutenção e restabelecimento da rede de energia, além de colocar em risco a vida do prestador de serviço”, finaliza.


Autor: AMZ Noticias com Assessoria


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Noticia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias