Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019

Pedro Taques denuncia “golpe e maquiagem” nas contas públicas brasileiras




COMPARTILHE

Em discurso no Plenário na quinta-feira (06.06), o senador Pedro Taques (PDT-MT) criticou a condução da economia brasileira. Ele observou que, hoje, o brasileiro está com medo da inflação, do desemprego e do desequilíbrio econômico. Segundo o senador, são medos que a população achava que tinham ficado no passado.

“Se não lutarmos agora pelas conquistas que o país alcançou ao longo de vários governos, de partidos diferentes, esses fantasmas podem voltar”, alertou o parlamentar.

Pedro Taques reconheceu que, nos últimos anos, o emprego e a renda cresceram no país, embora a economia tenha crescido pouco. Para ele, o crescimento da economia mundial, a expansão do Bolsa Família e o aumento real do salário mínimo colaboraram para bons números na renda e no consumo. No entanto, alertou que, para que esses ganhos pudessem ser verdadeiros e permanentes, os que conduzem a economia teriam que olhar para a consolidação desse crescimento.

Em sua avaliação, a garantia do crescimento econômico tem a ver com estabilidade de preços, aumento da competitividade e avanços na educação, entre outras variáveis. “O governo esqueceu a lição de casa, da responsabilidade de se preparar para o futuro”, criticou.

O senador também destacou o fato de as contas externas registrarem números negativos nos últimos anos e disse que um mercado interno forte não é garantia para o equilíbrio da economia. Pedro Taques lembrou que, em 2003, a dívida total de pessoas físicas no país era de R$ 133 bilhões.

Em 2012, esse número saltou para R$ 545 bilhões. Ele também registrou que as empresas não pagavam 3% de suas dívidas, em 2003. Esse número teria subido para 6,9%, em 2012. O peso das dívidas no orçamento das famílias no mesmo período quase triplicou, chegando a 29,2% no final do ano passado.

Na visão de Taques, o governo federal “joga mais gasolina no fogo”, pensando nas eleições de 2014, ao induzir trabalhadores e empresas a consumir de qualquer modo. Assim, frisou, não resta outra opção ao governo a não ser aumentar os juros. Segundo o senador, o governo vem “fingindo que nada está acontecendo” e tem usado “golpe” e “maquiagem” nas contas públicas. “Precisamos colocar em ordem as finanças públicas, colocando credibilidade nos números do governo”, reforçou.

Para o senador de Mato Grosso, medidas como incremento na ação administrativa, com técnicos capazes de execução, reorganização de atividades produtivas e o estabelecimento de prioridades de investimentos podem ajudar o país a reencontrar o rumo. “Precisamos acordar do longo engano a que o país foi submetido pelos últimos governos, recuperar a capacidade de pensar criticamente e criar alternativas para o crescimento nacional”, concluiu.

Em aparte, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) classificou o discurso de Taques como “excelente”. Ele disse que as luzes amarelas estão acesas para a economia nacional. Requião acrescentou que parece que o governo está sendo guiado por burocratas de terceiro escalão e criticou a tendência à direita que tem dominado as decisões do governo nos últimos tempos. 


Autor:Jornal da Noticia com Assessoria


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<