Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019

Governo de Confresa abre caminhos para regularização fundiária no Araguaia




COMPARTILHE

Regularização fundiária é um problema que atinge todo o estado do Mato Grosso. A região do Araguaia, especialmente por ser uma região de assentamentos e reservas indígenas, tem muitas áreas que precisam ser regularizadas.

Confresa que é considerado o maior assentamento do Brasil, vem há muito tempo trabalhando para regularizar a cidade. Promessa de muitos políticos da região. Mas foi na gestão do prefeito Gaspar Lazari, que atualmente exerce a presidência da AMNA (Associação dos Municípios do Norte Araguaia) que este sonho dos moradores começou a virar realidade.

Em outubro de 2013, foi inaugurada em Confresa a unidade avançada do INCRA, visando estreitar o caminho entre os proprietários de lotes urbanos e rurais com o governo e, na ocasião, foi entregue a escritura de uma área de 330 (trezentos e trinta hectares) ao município, para regularização.

Foram mais de dois anos de intenso trabalho e muita burocracia vencida, para que enfim, o município recebesse a escritura da área que agora será parcelada e regularizada, sendo titulada aos proprietários dos lotes.

No início de Fevereiro, o secretário de planejamento de Confresa, José Pereira Cordão, esteve em Cuiabá para buscar informações e mecanismos para viabilizar a regularização sem esbarrar novamente na burocracia, evitando a perda de tempo nos processos e garantindo menor custo nas tarifas.

O trabalho que vem sendo feito em Confresa servirá de parâmetro para os demais municípios que forem regularizar áreas, é uma trilha que está sendo aberta e beneficiará toda região.


Autor:JornaldaNoticia com Ricardo Masson


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<