Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019

Justiça Federal nega pedido de Eder Moraes para reaver bens apreendidos pela PF




COMPARTILHE

Em despacho na ultima segunda-feira (24) o juiz Jeferson Schneider, da Quinta Vara da Justiça Federal em Mato Grosso, negou o pedido do ex-secretário de governo Eder de Moraes Dias, para reaver os bens que foram recolhidos em sua residência durante busca e apreensão realizadas pela Polícia Federal, na quarta-feira (19) passada.

Na ocasião, a PF desencadeou a quarta etapa da Operação Ararath, que investiga um suposto esquema de lavagem de dinheiro e agiotagem. No despacho desta segunda-feira, Schneider indefere o pedido e determina ciência ao Ministério Público Federal (MPF).

O caso corre em segredo de Justiça e não há detalhes do que foi apreendido na ação e quais bens o ex-secretário de representação de Mato Grosso em Brasília tentou reaver.  Sem especificar os proprietários, a  PF confirmou a apreensão de pouco mais de R$ 126 milhões em notas promissórias e cheques durante o cumprimento dos 17 mandados de busca e apreensão expedidos pelo juiz federal Jeferson Schneider, na quarta fase da ‘Operação Ararath’.

Além de pelo menos 60 equipamentos de informática – computadores, notebooks, tabletes, smartphones– e cerca de 200 quilos de documentos também foram apreendidos. No dia da ação da PF, Eder declarou que estava tranquilo e não tinha nada a temer.

Operação Ararath

Os trabalhos da operação Ararath foram iniciados em 12 de novembro do ano passado, quando 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. O principal alvo à época era o empresário Júnior Mendonça. Embora o processo corra sob segredo de Justiça, a Polícia Federal afirmou que a investigação apura supostos crimes financeiros.

No final do mesmo mês, outros sete mandados foram cumpridos, entre eles contra o então presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran/MT), Gian Castrillon e o juiz federal Julier Sebastião da Silva. Já em dezembro, na 3ª fase da operação, outros sete mandados foram cumpridos, em 3 municípios.


Autor:Olhar Direto


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<