Sábado, 17 de Agosto de 2019

Enquanto passagem pode chegar a R$ 3,80 em Cuiabá, cidade carioca cobra R$ 1,0




COMPARTILHE

Enquanto que em Cuiabá o novo valor do transporte coletivo poderá chegar a R$ 3,80, na cidade de Macaé (RJ) o bilhete custa apenas R$ 1. O valor cobrado é em decorrência de um projeto, apresentado pelo prefeito Dr. Aluízio Júnior (PV), que vigora desde 2013. Mesmo com a forte crise econômica que atinge o país, o gestor decidiu continuar com o valor popular. O restante da passagem é subsidiado pela prefeitura.

O valor de R$ 1 na passagem de ônibus é válido no perímetro urbano e também para a região serrana. Ao todo, cerca de 120 mil pessoas utilizam o transporte coletivo no município. Desde a implantação no projeto, a demanda cresceu cerca de 25%. No total, são 32 linhas que atendem a cidade.

Somente na integração dos quatro terminais (Centro, Cehab, Lagomar e Parque de Tubos) passam, todos os dias, 45 mil passageiros, o que também representa uma economia para o cidadão, já que não é necessário o pagamento da segunda passagem. A passagem a R$ 1,00, proposta pelo Executivo, foi aprovada por unanimidade na Câmara Municipal de Macaé em 2013. O custo real da passagem é R$ 3,17, porém, a prefeitura faz o repasse da diferença.

Na última terça-feira (12), através de sua página no Facebook, a Prefeitura anunciou que manterá o preço, apesar da forte crise econômica que atinge o país: “Sim, a passagem continua R$ 1. Continua, pois pra você, que usa o ônibus pra ir ao trabalho, isso significa muito no final do mês. Continua, pois pra você, que usa o ônibus pra buscar emprego, pode ser a chance de fazer isso mais vezes”, diz trecho da publicação.

Ao todo, quase 300 ônibus atendem bairros e distritos da região serrana. O preço mantido traz preocupações para alguns vereadores da cidade, que temem que a saúde financeira do município se deteriore, por conta do subsídio. Até agora, o projeto tem recebido elogios da população. Porém, a qualidade dos veículos ainda é questionada em alguns pontos.

Cuiabá

Na capital mato-grossense, o pedido que prevê aumento na passagem de ônibus para a capital, estimada em R$ 3,60, está em análise pela diretoria da Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec). Uma planilha elaborada pela Associação Mato-Grossense dos Transportadores Urbanos (AMTU), com os valores de itens que justificam o acréscimo, de R$ 0,50 centavos,  ainda será submetido ao crivo do Conselho Participativo Municipal e, posteriormente, ao prefeito Mauro Mendes.

Segundo o prefeito Mauro Mendes (PSB), a majoração da tarifa é prevista considerando que itens como óleo diesel também sofreram aumento no país todo.  Ele ainda declarou nessa semana que somente irá autorizar a majoração do transporte público em Cuiabá mediante fechamento de acordo com as empresas responsáveis pelo serviço para que ampliem a frota com 50 novos veículos.

Em janeiro de 2015, o Conselho - órgão superior de representação e participação da sociedade na Agência - aprovou o aumento para R$ 3,10, colocando a capital no ranking das tarifas mais altas cobradas no Brasil. A data corresponde ao último reajuste da tarifa no município. Em Cuiabá e Várzea Grande, são cerca de 400 mil usuários e a frota aproximada é de 500 veículos, segundo estimativa do Sindicato dos Motoristas Profissionais Trabalhadores de Empresas de Transporte de Cuiabá e Região.


Autor:Wesley Santiago com Olhar Direto


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<