Quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019

Carlos Bezerra interpela Paulo Taques na Justiça e quer explicação sobre declaração




COMPARTILHE

O deputado federal Carlos Bezerra (PMDB) entrou com uma interpelação judicial para que o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, explique, em 48 horas, as declarações de que o parlamentar “acampou” na Secretaria de Fazenda, com o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), nos quatro últimos dias de 2014.

A declaração de Taques foi feita ao MidiaNews, no último dia 9 de fevereiro. Ele afirmou que Silval e Bezerra pediam comida de fora, para não saírem da secretaria nem na hora do almoço.

O secretário também citou que Bezerra declarou à imprensa considerar justa a prisão do ex-governador. “As sanguessugas têm mais lealdade que uma postura dessas. Isso é uma demonstração inequívoca de oportunismo”, disse.

Na interpelação, protocolada nesta quarta-feira (24), Bezerra afirmou ser vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), da Câmara Federal, desde 2007.

Ele destacou os diversos mandatos que teve, como de governador e senador, e disse ter uma conduta “ilibada” e “sem manchas”. O parlamentar pediu que o secretário esclareça, "de forma explicita e sem usar de subterfúgios e reticências”, o que quis dizer com as declarações.

Em um trecho da ação Bezerra diz “Que o requerente não é e nem jamais foi oportunista, nunca concordou com a prisão do ex-governador Silval Barbosa, tem coerência partidária desde o 1º mandato que exerce até hoje, sempre junto com o PMDB. Não é oportunista e muito menos sanguessuga, como alega o então secretário-chefe da Casa Civil Paulo Taques”.

“Assim sendo, justifique: qual a real intenção do suplicado, o que está querendo insinuar com tais alegações a fim de esclarecer os fatos ou dar razões determinantes de sua declaração referente matéria publicada no MidiaNews, de 09/02/2016, em que cita o Sr. Carlos Gomes Bezerra”, completou.

A decisão quanto ao pedido de Bezerra será do juiz Emerson Luis Pereira Cajango, da 4ª Vara Cível de Cuiabá.

Outro lado

Por meio de sua assessoria, o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, ironizou a interpelação de Bezerra.

"É a primeira vez que sou interpelado judicialmente. Mas, partindo do deputado Carlos Bezerra, não considero um problema. Pelo contrário, até conta pontos no meu currículo", disse.

Entenda o caso

Ao MidiaNews, o secretário Paulo Taques revelou que o presidente regional do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, “acampou” na Secretaria de Fazenda, com Silval, nos quatro últimos dias de 2014.

“Nos últimos dias do Governo passado, o deputado Bezerra acampou na Secretaria de Fazenda. Passou três ou quatro dias lá dentro. Fazendo o quê, somente Deus e as cortinas da Sefaz podem responder”, disse Paulo Taques.

“Mas ele ficou lá com o ex-governador Silval Barbosa. Pediam comida de fora, para não saírem nem na hora do almoço. Foi o que ouvimos aqui”, afirmou.

Segundo Paulo Taques, o cacique do PMDB tinha livre acesso aos corredores do Palácio Paiaguás.

“Aqui, os gatos do Palácio Paiaguás dizem que o deputado tinha porta aberta, literalmente, no Governo passado. Às vezes, era até constrangedor: ele entrava no gabinete do governador sem pedir licença e interrompendo reuniões. Então, ele participou daquele Governo ativamente. Isso é um fato. As consequências desse fato somente vamos saber no futuro”, disse.


Autor:Douglas Trielli com Midia News


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<