Domingo, 18 de Agosto de 2019

Comissão vota hoje texto-base de Lei Geral da Copa em meio a crise entre governo e Fifa




COMPARTILHE

A votação do texto-base da Lei Geral da Copa na comissão especial da Câmara dos Deputados acontece na tarde desta terça-feira (6) em meio a uma crise entre o governo brasileiro e a Federação Internacional de Futebol (Fifa).

A polêmica começou após a divulgação na sexta (2) de que o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse que o Brasil precisava de "chute no traseiro", na tradução feita por agências de notícias, por conta da demora para votação da Lei Geral. Depois, em carta enviada ao governo brasileiro nesta segunda (5), ele explicou que a expressão em francês utilizada, "se donner un coup de pied aux fesses", significa apenas "acelerar o ritmo".

Após a divulgação da declaração, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, convocou a imprensa no sábado (3) dizendo que o governo brasileiro não mais aceitaria Valcke como interlocutor para questões relacionadas à Copa de 2014. No mesmo dia, Valcke rebateu dizendo que a resposta do Brasil foi "infantil".

Nesta segunda, o governo enviou pedido oficial para Fifa para afastar Valcke das negociações com o Brasil. Mais tarde, chegou a carta com pedido de "desculpas" pela declaração.

"Infelizmente essa expressão foi traduzida para o português utilizando palavras muito mais fortes. Portanto, gostaria de pedir desculpas ao senhor e também a qualquer pessoa que

presidente da comissão da Lei da Copa, fala de Valcke é 'insultuosa'

Votação anulada

A votação da Lei Geral, que contém uma série de exigências da Fifa para realização do Mundial, realizada na última terça (28) foi anulada e será repetida. Segundo o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, houve desrespeito ao regimento interno da Casa.

A reunião da comissão especial da última terça ocorreu simultaneamente à sessão de votação do plenário da Câmara, o que não é permitido pelo regimento. Desse modo, o projeto será novamente apreciado antes da votação dos 10 destaques (propostas de alteração) à matéria. Dois destaques apresentados são polêmicos e propõem proibir a venda de bebidas alcoólicas nos jogos do Mundial.

A previsão do governo é de que a votação da Lei Geral da Copa no plenário da Câmara ocorra na terceira semana de março.

Reações

As declarações de Valcke provocaram reações por parte de autoridades brasileiras. O assessor especial para assuntos internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, chamou Valcke de “vagabundo”. “O interlocutor (da Fifa) já está riscado. Esse cara é um vagabundo! (...) É um boquirroto. Ele não criou um problema para nós: criou um problema para a Fifa”, desabafou Garcia, que está acompanhando a presidente Dilma Rousseff em viagem à Alemanha, ao "O Globo".

O presidente da Comissão Especial da Lei Geral da Copa na Câmara, deputado federal Renan Filho (PMDB-AL), classificou como "insultuosas" as críticas. O presidente da Câmara, Marco Maia, por sua vez, disse que a declaração de Valcke merecia um "chute de volta".

 


Autor:G1


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<